Pesquisar este blog

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Etapas da precificação

Pelo que tenho visto, a dificuldade em colocar preço em produtos artesanais é quase geral. Muitos têm sido os pedidos de socorro em grupos de artesanato nas redes sociais, mas poucas explicações coerentes vemos e, para podermos aprender um pouco mais, precisamos pagar muito por isso. Eu mesma, fiz e ainda faço muitos cursos para melhorar a gestão de meus negócios, pois vejo que, de nada adiantaria, saber muitas técnicas, fazer bem a minha arte e não conseguir crescer financeiramente através dela se é isso que almejo.
Se você também, não se vê mais apenas como uma hobbysta ou uma artesã esporádica e quer fazer crescer o seu negócio artesanal, precisa saber cobrar por sua arte e encará-la como um trabalho, uma empresa, mesmo que seja de uma pessoa só!
Vem comigo...

  • Em primeiro lugar, encare o seu artesanato como um trabalho. Pense que um funcionário ganha desde o momento em que ele começa a trabalhar até o momento em que ele para. 
  • Defina um expediente, ou seja, um horário de trabalho e, caso não cumpra as horas que definiu, busque compensá-las em outro momento, mas é importante ter uma rotina.
  •  Trabalhe, mesmo que não tenha encomendas.
  • Mantenha seu local de trabalho organizado, para facilitar o bom andamento do mesmo e poupar tempo.
  • Se você atende em casa, busque manter o ambiente organizado e limpo.
Estas dicas são fundamentais para quem quer ver o seu negócio artesanal crescer, porém cobrar o valor justo por suas peças é a chave para o crescimento.

  1. Ao fazer uma peça, descreva todos os materiais (matéria-prima) que usou, desde o mais caro ao mais barato, pois TODOS tem um valor;
  2. Descreva as ferramentas que usou para confeccionar a peça;
  3. Acrescente todas as outras despesas que não sejam materiais e ferramentas, geralmente são as despesas fixas, ou seja, produzindo ou não, você precisa pagar: luz, água, internet, telefone...
  4. Não deixe de anotar as despesas extras, como transporte para buscar o material ou frete, por exemplo;
  5. Cronometre o tempo que gasta para confeccionar a peça, pois será a hora cobrada pela mão de obra;
  6. Não se esqueça de adicionar uma porcentagem sobre o valor final que será o lucro da empresa, ou seja, o capital de giro do seu negócio!
A primeira iniciativa que devemos tomar para precificar nossos produtos é sermos honestos com os valores e o tempo de produção, além de anotarmos tudo o que gastamos.

Nos próximos posts, daremos continuidade, destrinchando cada item, juntinhos. OK!

terça-feira, 9 de junho de 2015

Seja bem-vindo(a)!!!


Alfabeto lindo de presente!!!








Vamos calcular a SUA hora trabalhada?

No último post, onde quis iniciar uma reflexão sobre o nosso sistema de trabalho autônomo, acredito que muitos de vocês ficaram com um gostinho de quero mais, se perguntando "E aí, não tem mais?", rsrs.
Mas o intuito é esse mesmo de não tornar os posts maçantes, mas de instigá-los a querer saber mais sobre o seu próprio negócio... saiba também que, refletindo aqui com vocês, eu acabo pensando em meus projetos também, o que tem se tornado muito útil para mim!
Só queria agradecer pela companhia de vocês!!!

Vamos ao que interessa....

No post anterior, a diarista cobrou R$120,00 pela faxina de um apartamento comum, de tamanho médio e gastou em torno de 6 horas para limpá-lo, ganhando assim, R$20,00 por hora, mas se ela demorasse em torno de 8 horas para realizar a mesma limpeza, o valor da sua hora trabalhada iria diminuir, porque ela cobra por dia e não por hora, correto?

Vamos calcular para você ver:

120 : 8 = 15 então, ao invés da sua hora trabalhada custar R$20,00, baixaria para R$15,00. Porém, se ela conseguisse otimizar o seu trabalho e fizesse a mesma limpeza, com qualidade, talvez usando produtos mais eficientes ou equipamentos mais ágeis, gastasse apenas 5 horas, o valor da sua hora trabalhada aumentaria. Veja:

120 : 5 = 24 então, a sua hora trabalhada seria de R$24,00 reais e não R$20,00.

Percebam que o seu ganho está diretamente ligado ao rendimento do seu trabalho. Porém, isso já é assunto para um próximo post...

Para que você possa calcular a sua hora de trabalho, primeiro precisa estabelecer um salário, de preferência mensal. Quanto acha justo um artesão ganhar? Você acha que o salário mínimo vigente no Brasil é um valor coerente? Se acha que sim, comece por ele. Se gostaria de ganhar mais, coloque uma outra quantia, mas seja coerente, pois terá que trabalhar para chegar lá. OK!
O valor escolhido será dividido pelas horas trabalhadas durante o mês, pois o salário será mensal, pensando que, em uma semana você pode receber mais encomendas do que em outras e que nossas contas são geralmente pagas por mês (luz, água, telefone, aluguel...).
Se você trabalhasse em uma empresa comum, trabalharia 8 horas por dia, 5 dias por semana, durante 4 semanas em um mês. Contabilizando isso, você trabalharia 176 horas por mês, então, o salário que você escolheu será dividido por esse nº de horas.
O salário mínimo no Brasil é de R$788,00 (vergonha para o país e não para quem trabalha!) por 176 horas/mês trabalhadas. Vejamos como fica:

788 : 176 = 4,47 (não tirei as contribuições!!!)

Mas preste atenção!

Este será o seu salário, o preço da sua hora trabalhada, da sua mão de obra e não o seu lucro!
 A sua hora trabalhada corresponde ao valor pago ao tempo em que você passa trabalhando como um funcionário comum, desde o momento em que começa a se dedicar à ele: quando atende o cliente, pesquisa preços, vai ao armarinho, produz a peça em todas as suas etapas, desde o projeto até o acabamento, quando embala, posta ou vai entregar ao cliente, enfim, tudo o que diz respeito ao trabalho. Como diz o Gustavo Gimenes, "desde o momento em que o funcionário entra na empresa, ele já está ganhando", com você deve ser a mesma coisa!
Você também pode calcular outros valores de salário, mas como já disse, seja realista! Vamos lá:


Salário mensal:

R$1.000,00 -      1.000 : 176 =  5, 68             (R$5,68/hora)
R$1.500,00 -      1.500 : 176 =  8,52               (R$8,52/hora)
R$3.000,00 -      3.000 : 176 = 17,04              (R$17,04/hora)

Lembre-se que para alcançar o valor do seu salário mensal você deve:

  • trabalhar todas as horas propostas;
  • ou aumentar o valor da hora trabalhada;
  • inserir no cálculo dos produtos todas as etapas trabalhadas para que as suas horas de trabalho se encaixem, (mas seja muito honesto neste cálculo!);
  • trabalhar mesmo sem ter encomendas.
Reflita, comente, deixe a sua sugestão para os próximos posts, suas dúvidas, críticas construtivas também são bem vindas. 

Um abraço,

Aline Carpazano

    domingo, 7 de junho de 2015

    Você sabe quanto custa a SUA hora de trabalho?

    Parece uma pergunta até boba a do título deste post, mas é uma das coisas mais importantes para quem trabalha com artesanato.
    Quando iniciamos o nosso trabalho com artesanato, geralmente já percorremos uma jornada até chegarmos nesta fase. Veja se você se encaixa na história da maioria dos artesãos:
    Você se identifica com uma ou mais técnicas artesanais, começa a fazer para você, para presentear os familiares e amigos, depois alguém vê o seu trabalho e começa a encomendar.  Você faz um preço mais ou menos, sem saber direito como cobrar e ainda sente vergonha, mesmo gostando das encomendas. Daí, um amigo passa o seu contato para o outro e as encomendas vão aumentando e o negócio vai crescendo... porém, a parte administrativa não acompanha o crescimento do seu negócio. Estou certa?
    Por isso, quero iniciar com a sua hora de trabalho!
    Quando temos um hobby, não nos importamos com prazo de entrega, com custos, somente queremos ter o prazer de fazer e ver a peça pronta. No mundo dos negócios, o tempo é algo muito importante, não é a toa que existe a famosa frase "time is money", pois tempo realmente é dinheiro!

    Tempo x dinheiro








    Eu sei que precisamos de tempo para tudo, mas vou focar em seu momento produtivo e vamos exemplificar para que você entenda.
    Vamos pensar no perfil do nosso trabalho de um modo geral, sem falar do nosso lado artístico:
    • somos autônomos, ou seja, trabalhamos por conta própria;
    • ganhamos por produção;
    • calculamos o preço do nosso trabalho.
    Se observarmos bem, o nosso trabalho é bem parecido com o trabalho de vários outros trabalhadores autônomos: costureiras, faxineiras, passadeiras,  pedreiros, cozinheiros,cabeleireiros, manicures, etc.
    Peguei uma tabela de preços de uma diarista para exemplificarmos:

    Tabela de Preços:

    Apartamentos c/ 2 dormitórios c/suíte e s/suíte- R$ 120.00

    Fonte: http://faxineiraestiloamericano.blogspot.com.br/2015/02/aceito-proposta-para-trabalhar-em.html

     Eu peguei um apartamento de tamanho médio que é o mais comum. Se ela limpar o apartamento em 6 horas, a sua hora trabalhada será de R$20,00 (120 : 6 =20), se ela levar mais tempo, a sua hora trabalhada será menor... sabendo que ela não tem gasto algum com material de limpeza e vale transporte. Então, ela sabe o valor da sua hora de trabalho e você, sabe quanto é a sua hora de trabalho?

    sábado, 6 de junho de 2015

    Você ainda multiplica o seu gasto por 3?

    Uma das perguntas mais clássicas dos artesãos atualmente é:
    _Como faço para colocar preço em meu artesanato?


    Como faço para colocar preço em meu artesanato?



    Todas as vezes em que estou assistindo uma palestra, um curso ou vendo os grupos que participo, sempre me deparo com essa pergunta. O artesão sabe fazer a peça, muitas vezes fez bem o seu trabalho, mas na hora de administrar o seu negócio...
    Já vi artesãs experientes dando a dica antiga de multiplicar o gasto por 3, como se fosse uma parte para o material, a outra para o lucro e a outra o trabalho. Nossa, como isso é errado!
    Antes de mais nada, vamos analisar a questão por um momento:

    Todas as vezes que fazemos uma peça, precisamos ter em mente, todos os materiais que usamos e seus preços atuais. Não importa se você comprou um tecido há um ano, você estará vendendo a peça agora e precisa atualizar o preço!

    Vamos dizer que faremos uma peça fictícia em EVA e já vamos calcular os preços, de acordo com as medidas gastas (dados de preços: Loja Bella Aviamentos - junho/2015):
    • 1/2 m de fita nº0  -                                R$0,25/m                   0,25/2=           R$0,13
    • 20x60 cm de EVA liso-                               R$2,10                       2,10/3=            R$0,70
    • 1 refil de cola quente fino -                  R$0,80
    • 1 botão decorativo-                               R$0,40
                                                                                                       Total: R$2,03

    Se você multiplicar o total gasto por 3, cobrará R$6,09.

    Desse dinheiro, você teve um lucro de R$2,03 e um ganho pelo seu trabalho de R$2,03. Ok?

    Mas você sabe a porcentagem de desconto que você pode dar sem perder o ganhou com o seu  trabalho? Você incluiu a passagem que pagou para buscar o material ou o frete que cobraram de você? Se um de seus equipamentos de trabalho estragar (tesoura, pistola de cola quente, etc) você tem uma reserva para repor? Isso se chama reserva para depreciação de equipamentos...
    Será que você está ganhando ou perdendo? Já parou para pensar nestas questões? E a sua hora de trabalho quanto custa? Será o nosso próximo post!

    Só queria que você começasse a refletir... muito mais virá!